Peças ProcessuaisCarta Testemunhável - CPP 639

Peça processual

Por:

Código da Petição: PETITIONFREE-67

Histórico de atualizações

Tópicos do Direito: Modelo de recurso, Carta testemunhável, Cpp, Recurso em sentido estrito, Prazos no cpp

Peça Grátis

Todas as petições do site são em arquivos Word editáveis, adaptando-se perfeitamente ao seu caso.

Faça a diferença: nossas peças já vêm com notas de jurisprudência (sempre atualizadas), leis e doutrina.

Sinopse

 

ILUSTRÍSSIMO SENHOR ESCRIVÃO DA 00ª VARA CRIMINAL DA COMARCA DE PARANAVAÍ - PR.

 

 

 

 

 

 

 

Ação Penal

Proc. nº.  5555.33.2222.5.06.4444

Autor: Ministério Público Estadual

Acusado: Pedro das Quantas

 

 

                                       

                                        PEDRO DAS QUANTAS (“Testemunhante”), já devidamente qualificado nos autos da destacada ação penal, vem, com o devido respeito à presença de Vossa Senhoria, por intermédio de seu patrono que ora assina, alicerçado no art. 639, inc. I, da Legislação Adjetiva Penal, interpor, tempestivamente (CPP, art. 640), a presente 

 

CARTA TESTEMUNHÁVEL,

 

em razão da decisão que demora às fls. 203/204 do processo em espécie, a qual não recebeu o Recurso em Sentido Estrito interposto pela defesa, por entendê-lo intempestivo, onde, por tais motivos, apresenta as Razões do recurso ora acostadas.

                       

                                   Desta sorte, com a oitiva do Ministério Público Estadual (“Testemunhado”), requer-se que Vossa Senhoria encaminhe este recurso ao d. Magistrado processante para eventual retratação, antes da remessa do mesmo à Instância Superior. (CPP, art. 589, caput c/c art. 643) Sucessivamente, aguarda-se o envio do Recurso ao Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, com a extração das seguintes peças processuais:

 

1) Decisão de pronúncia

2) Certidão de intimação do Testemunhante

3) Recurso em Sentido Estrito

4) Decisão que não recebeu o Recurso em Sentido Estrito

 

 

                                                                              Respeitosamente, pede deferimento.

 

                                                                                 Paranavaí(PR), 00 de agosto de 0000.                             

 

 

 

                       Beltrano de tal

                   Advogado – OAB/PR 112233

 

 

 


 

 

                                                                                             

RAZÕES DA CARTA TESTEMUNHÁVEL

 

 

Testemunhante: Pedro das Quantas

Testemunhado: Ministério Público Estadual

 

 

EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ

COLENDA TURMA JULGADORA

PRECLAROS DESEMBARGADORES

 

1 – ALÍGERAS CONSIDERAÇÕES FÁTICAS

 

 

                    O Testemunhante, por meio do pertinente Recurso em Sentido Estrito, se insurgiu contra a decisão de pronúncia proferida nos autos da ação penal que responde por homicídio qualificado. O patrono do Recorrente fora intimado dessa decisão em 33/22/0000, uma sexta-feira. O Recurso em comento fora interposto no último dia do prazo (CPP, art. 586), ou seja, no dia 22/33/0000, tendo-se em conta o termo inicial da contagem do prazo ser, à luz do CPP, na segunda-feira.

 

                                   O Magistrado a quo, todavia, entendeu, com supedâneo no art. 798 do Código de Processo Penal, que o prazo correu em Cartório e este se iniciou com a intimação do patrono do Testemunhante, isto é, na sexta-feira, tendo, por este modo, intempestivo o Recurso em Sentido Estrito manejado.

 

HOC IPSUM EST

 

2  -  NO MÉRITO

 

Tempestividade do Recurso em Sentido Estrito  

 

 

                                       O Recurso em Sentido Estrito deve ser tido por tempestivo, uma vez que aviado com início da contagem do prazo a partir do primeiro dia útil, contando-se da intimação do patrono do Testemunhante

 

                                               Em verdade, não se deve confundir a início do prazo com o início da contagem do prazo, que é, data venia, o equívoco praticado pelo d. Magistrado de primeiro grau.

 

                                               A corroborar o exposto acima, insta transcrever as lições de Ada Pellegrini Grinover:

 

“          A regra do art. 798 do CPP diz respeito ao início do prazo. Este, no entanto, não se confunde com o início da contagem do prazo. O ponto inicial do prazo é aquele em que foi feita a intimação; a contagem, que é outra coisa, obedecerá a regras diversas. Assim, a teor do art. 798, § 1º, CPP, não se computa, no prazo, o dia do começo, mas se conta o do vencimento (regra do início da contagem do prazo).

 

( . . . )

 

            Assim, no caso de intimação na sexta-feira, este dia será o do início do prazo; mas a contagem do prazo só se iniciará na segunda-feira se for dia útil. Tratando-se de um prazo de cinco dias, a contagem, iniciada na segunda, vencer-se-á na sexta-feira. “(GRINOVER, Ada Pellegrini; GOMES FILHO, Antônio Magalhães; FERNANDES, Antônio Scarance. Recursos em Processo Penal. 7ª Ed. São Paulo: RT, 2011. Págs. 86-87)

 

                       

                                               Nesse contexto, urge trazer à baila a respeitável ementa abaixo:

 

PENAL. PROCESSO PENAL. SENTENÇA CONDENATÓRIA. PRAZO PARA A INTERPOSIÇÃO DE RECURSO. INTIMAÇÃO PESSOAL.

Apelação criminal intentada contra decisão da turma recursal. Intempestividade que se declara, em face de preceito legal sobre a matéria, cotejado com a realidade fática dos autos. Dispõe o art. 798, § 5º, "a", do CPP, que o início da contagem dos prazos ocorre a partir da intimação inequívoca da sentença ou despacho. No caso dos autos, o apelante há de ser considerado intimado da sentença a partir da data da diligência efetivada pelo oficial de justiça, fluindo a partir do primeiro dia útil seguinte, terça- feira, em razão de a intimação ter se dado em um sábado e a segunda-feira se tratado de feriado nacional. Desta forma, acertada a decisão da turma recursal que entendeu ser intempestiva a apelação interposta fora do prazo de dez dias, conforme dispõe art. 82, § 1º, da Lei n. 9099/95. (TJRO - APL 0077768-78.2008.8.22.0601; Rel. Juiz Dalmo Antônio de Castro Bezerra; Julg. 30/03/2012; DJERO 11/04/2012; Pág. 156)

                                      

 

                                       Ex positis, exsurge como cristalina a tempestividade do recurso antes interposto.

 

3 - EM CONCLUSÃO

 

 

                                       Espera-se, pois, o recebimento deste recurso, porquanto tempestivo e pertinente à hipótese em vertente, onde aguarda-se seja dado provimento ao referido RECURSO DE CARTA TESTEMUNHÁVEL, maiormente em razão dos fundamentos lançados na presente peça recursal, determinando, por conseguinte, o processamento do Recurso em Sentido Estrito.

 

                      De outro importe, caso Vossas Excelências entendam que esta Carta Testemunhável esteja suficientemente instruída, espera-se a análise do mérito daquele recurso. (CPP, art. 644)

 

 

              Respeitosamente, pede deferimento.

 

 

                Paranavaí (PR),  00 de junho de 0000.

 

                                    Fulano(a) de Tal

                                         Advogado(a) OAB (PR) 112233 

No Petições Online, você tem

conteúdo exclusivo e atualizado para agilizar seu trabalho:

1 - Nossas Petições são Editáveis. 2 - Download imediato. 3 - Todas as futuras Atualizações são gratuitas.